1813

Prefeitura Municipal de Pau Brasil

Pular para o conteúdo

Vice-presidente da CNM participa de debate sobre fechamento de agências do Banco do Brasil em Municípios

Fonte: CNM
08/07/2021 às 23h44

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


O 5º vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Jair Souto, participou de debate sobre fechamento de agências do Banco do Brasil (BB) nos Municípios. O prefeito representou a entidade durante a audiência pública, nesta quinta-feira, 8 de julho, que foi convocada pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. Jair Souto, que é prefeito de Manaquiri (AM), falou em nome do movimento municipalista e defendeu a permanência das agências nos Entes locais.

O representante da CNM apresentou dados levantados pela entidade e solicitou o não fechamento das agências como a abertura de novas. “Dos 5.568 Municípios brasileiros, o Banco do Brasil não está presente em mais de 58,9%. Da mesma forma, a Caixa Econômica Federal não está presente em mais de 70% dos Municípios. Os dois bancos são responsáveis pelas transferências obrigatórias e voluntárias. E na maioria dos Municípios são esses dois bancos os responsáveis pelo pagamento da folha dos funcionários. Ou seja, como vamos implementar políticas públicas onde não há serviços bancários presentes”, questionou o prefeito.

Sobre a informação do próprio BB acerca da previsão de agências a serem fechadas, o representante da CNM frisou alguns números. “Serão fechadas nos próximos dias, só no Estado de Alagoas, mais de 10 agências nos 102 Municípios. No Amazonas, 69,4% dos Municípios não têm agências e está previsto o fechamento de mais agências”, exemplificou.

Debate

Jair Souto contou sobre a reunião entre a CNM e o BB em que a entidade pediu não só que as agências não fossem fechadas, como a abertura de novas agências pelo interior do Brasil. “Para que possamos mais do que nunca desenvolver e fazer com que esses Municípios possam ter a sua autonomia financeira para todos. Eu quero muito pedir que o Congresso Nacional nos ajude a interferir nesse processo”, solicitou o gestor.

A audiência foi presidida pelo deputado Hildo Rocha (MDB-MA) e também contou com a presença do diretor de Atendimento e Canais do Banco do Brasil, Thompson Soares. Ele iniciou sua fala destacando o papel do Banco do Brasil nos Municípios. “Temos conhecimento do nosso dever de levar desenvolvimento através de financiamento e temos essa consciência grande do papel do Banco do Brasil, e de todos os bancos, na presença em todo Brasil para que irrigue as regiões com receitas”, afirmou o representante do BB.

Presença nacional

Thompson Soares destacou também que, na data de hoje, o Banco do Brasil é a instituição financeira com a maior presença nacional. “O Banco do Brasil, quando a gente compara market share [participação de mercado, em português] de dependências bancárias, com 21% de liderança com agências próprias. Nós também temos 95,3% dos Municípios brasileiros cobertos por algum tipo de canal de atendimento do Banco do Brasil”, defendeu o especialista.

“Mas o que a gente não pode deixar de levar em consideração é a transformação na forma de atender os clientes. Hoje nós temos 3.180 agências de varejo presenciais, 1.766 pontos de atendimento, são 31.738 terminais de autoatendimento e compartilhamos mais de 24 mil terminais com empresas terceirizadas totalizando mais de 55 mil pontos. É a maior rede de terminais do Brasil para levar saques e comodidades a nossos clientes”, enumerou o bancário.

Desafios da instituição

O especialista falou ainda dos desafios da instituição financeira perante as mudanças de comportamento do sistema financeiro.“De uma forma geral o sistema financeiro tem mudado, e não é só o Banco do Brasil. Então com essa mudança no comportamento do cliente que é a principal base de todo nosso processo. Nosso grande desafio é conciliar nossa estrutura física, nossos canais de atendimento e o nosso atendimento remoto digital para que a gente possa entregar valor aos nossos clientes, à sociedade e aos acionistas”, explicou Soares.

O deputado Hildo Rocha e outros parlamentares que participaram da audiência pública questionaram o representante do Banco do Brasil sobre o fechamento das agências. Thompson Soares respondeu que não há nenhum estudo em mãos sobre esse fechamento, mas sim um estudo sobre a presença de diferentes pontos de atendimento para que ocorra uma cobertura nacional. “Sempre o Banco do Brasil está disposto a ouvir, entender as oportunidades e discutir qualquer proposta de presença que seja viável dentro dos parâmetros comerciais”, pontou o bancário.

Regulação do serviço bancário

Jair Souto também questionou o diretor de Atendimento e Canais do BB acerca da presença física das agências nos Municípios e solicitou aos parlamentares a regulação do serviço bancário no Brasil . “Como você tem um Município no Brasil que não tem nenhuma agência bancária. Hoje temos mais de 3 mil Municípios que não têm nenhuma. O Congresso Nacional tem todas as condições de regular esse serviço de bancarização que é uma política nacional”, questionou o prefeito. Ele frisou ainda a falta de internet em grande parte do território brasileiro, que impacta diretamente nas novas funcionalidades bancárias.

O debate foi convocado pelo deputado Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ) após os alertas da Confederação sobre o crescente número de fechamentos de agências. "No interior do país, grande parte das atividades econômicas e comerciais são realizadas com dinheiro em espécie, como nas feiras populares, por exemplo", diz ele, que acredita em prejuízos para os negócios locais.

Confira como foi a audiência na íntegra: